• CrisUeda

Não mate o mensageiro!

Quem já falou essa frase algum dia, certamente não tinha uma notícia boa para dar.

Lembrei dessa expressão porque assisti um documentário-ficção na Netflix chamado “A Guerra dos Samurais” (Age of Samurai: Battle for Japan). A história dos lendários guerreiros se passa no século 16, no Japão feudal. Um dos grandes líderes era tão ambicioso, violento e impiedoso, que todos ao seu redor se sentiam ameaçados. Um dos seus mensageiros, com medo de ser punido pelo resultado desastroso da guerra, amenizou a notícia do campo de batalha. Resultado, o tão poderoso líder não sabia que estava perdendo a guerra.

Nos dias de hoje, não faz mais sentido a postura da(o) líder que intimida pela hierarquia ou que não esteja aberta(o) ao diálogo.

E ao mesmo tempo, não faz mais sentido profissionais que não questionam, não se posicionam e preferem assumir apenas o papel de leva e traz.

Se você é uma(um) líder e ouve essa frase, se questione. Por que será que as pessoas estão com medo de trazer uma notícia ruim para você? Você pode estar perdendo algumas batalhas sem saber.

Agora, se você usa frequentemente essa expressão, se questione também. Por que não assumir um papel mais protagonista ao invés de se desviar do problema? A história nos ajuda a relembrar como chegamos até aqui, mas não nos obriga a repeti-la séculos depois. Vamos em busca das nossas evoluções para deixarmos as nossas Marcas Pessoais Registradas no Mundo.